Reeducação Alimentar - Já se foram 13 quilos

Oi oi pessoal
Tudo certo com vocês?

Hoje vou dar continuidade à um assunto que eu abri para vocês no começo deste ano: meu emagrecimento.




No post, feito em janeiro, eu expliquei sobre a minha mudança, que começou em outubro 
de 2017, na alimentação e nos hábitos. Também revelei que foram eliminados até então naquele momento, sete quilos.

Atualmente, estamos no fim de abril e o placar da rodada já marca 13 gols contra a balança (quaaaaase 14)! Sim, foram 13 quilos eliminados. Vocês lembram que eu estava com 73 quando decidi começar? Pois bem, agora já estou com 60 (doida pra chegar na casa dos 59, 58...).

De janeiro pra cá

Logo após perder os sete quilos, percebi que dei uma parada no emagrecimento. O chamado "efeito Platô", conforme pesquisei, é a fase da dieta em que o organismo se acostuma com a mudança e a gente para de perder peso com "facilidade". O metabolismo fica mais lento.

Confesso que achei que passaria por esse período após perder uns 10 quilos, pois ainda achava que era muito cedo pra dar essa estacionada. 

E é nessa hora que muitas dietas desandam e muitas pessoas desistem. Porém, eu comecei a me aprofundar melhor e entender o que poderia mudar para continuar perdendo peso.


*Para frisar: Como eu havia dito no outro post, quero repetir aqui que eu não defendo nenhum tipo de padrão de beleza, sempre prezei pela minha saúde em primeiro lugar e que não sou profissional, apenas compartilho aqui o que me ajudou a perder peso e as minhas motivações para não desistir, mas cada pessoa tem de procurar o que é melhor para si.

Mudanças na alimentação

No começo de tudo, eu optei pela reeducação alimentar e basicamente passei a comer melhor (aquele esquema de 6 refeições ao dia e comer de 3 em 3 horas), porém, eu não fazia muita ideia do que eu estava comendo, o que era carboidrato, proteína... E foi no período do estacionamento, em que vi meu corpo acostumado aos meus "novos" hábitos, que passei a entender mais sobre cada alimento.

Então, conversei com a nutricionista da minha tia, que me orientou a adotar algumas mudanças. Assim, pude notar aonde estava errando e consegui corrigir para continuar a perda de peso. Um dos maiores erros que eu cometia era comer arroz integral com batata doce na janta. Eu achava que pelo fato do arroz ser integral e a batata doce algo mais saudável, aquilo poderia me potencializar o emagrecimento.

Foi então que decidi tirar os carboidratos apenas da janta. Continuei comendo carboidrato no café da manha (pão integral) e no almoço, mas no jantar apenas salada e proteína (alguma carne ou ovo). E aí fui conseguindo eliminar mais quilos e dei continuidade ao processo de emagrecimento.

Alimentação mais natural

Outra mudança que a nutricionista me orientou foi tentar trocar ao máximo os alimentos industrializados, mesmo os ditos light e integral, por uma alimentação mais natural. Então nos "lanchinhos", por exemplo, eu consumia muitas barrinhas de cereais, cookies integrais... E decidi trocar por frutas e pequenas porções de castanhas e nozes.

Apenas como barrinha de cereal quando não tem outra opçõa, quando saio de casa, tento sempre levar na bolsa uma maçã e algumas castanhas, mas dependendo do lugar, fica mais prático comer uma barrinha, então eu deixo as opções industrializadas para comer em "último caso".

Saída do ritmo

No final de fevereiro, fiz uma viagem para Gramado-RS. Antes da viagem, fechei a boca e segui a dieta direitinho, pra tentar embarcar mais magra e lá poder comer a vontade. Eu achava que, durante os cinco dias da viagem, eu iria aproveitar e comer de tudo, e quando voltasse pra São Paulo iria voltar pra rotina da alimentação saudável.

Engano meu! Quando viajei e voltei, foi um período muito difícil, pois saí total do ritmo (lá tinha muita comida boa e me acabei no chocolate) e só voltei mesmo depois de umas três semanas. Tanto é que o mês de março foi meio nulo pra mim, pois eu continuei "jacando" e comendo besteiras.

Foi bem difícil, eu ia caminhar e sentia meu corpo na marcha lenta, ainda em ritmo de viagem. Meu pensamento pós viagem era praticamente assim: "Ah já comi tanta besteira, mais uma não vai fazer diferença".

Mas depois de ver que pulei dos 62 quilos para os 64, resolvi acordar e seguir em frente na meta do emagrecimento.

É super normal bater um desânimo, mas nessas horas temos que nos lembrar que, se fomos capazes de perder e chegar até aqui, não podemos desistir.

Exercícios

Continuo firme, fazendo caminhada e me exercitando. Ainda não comecei a correr mas já me inscrevi e participei de uma corrida de rua (caminhando, mas participei) e gostei muito.






Os exercícios pra mim já são parte da rotina, mesmo quando minha alimentação estava bagunçada, eu não deixei de praticá-los e tenho sentido que me ajudam muito a esculpir o corpo.






Tanto é que quando eu estava no 62 quilos, me senti bem estacionada nesse peso. Ao mesmo tempo, fui observando melhoras no meu corpo, senti a cintura mais fina, a barriga mais seca, as pernas mais torneadas e com isso percebi que nem sempre os resultados estão nos números da balança, e sim nas fotos e quando nos olhamos no espelho!






Auto estima  

Acho que nem preciso dizer que minha auto estima está lá em cima agora. Quem me conhece sabe que sou aparecida e que amo uma foto né? Imagina neste momento, que estou me sentindo melhor, não só por estar 13 quilos mais magra, mas por me sentir mais saudável, mais disposta, com mais vontade de viver.








Em relação às roupas, algumas estou perdendo (só tenho dois shorts cabendo), voltei a entrar nas roupas que eu havia perdido e que eu amava, além de ter muito mais facilidade na hora de me vestir. 

Mas também estou evitando comprar roupas pois meu corpo está mudando bastante. Ainda pretendo perder mais uns 6 quilos, então não adianta comprar roupa agora, só comprei um shorts porque praticamente perdi todos.


Foto no espelho virou rotina...



É isso pessoal, a luta continua. É difícil, tem dia que bate uma vontade de jogar tudo pro alto e comer tudo que tenho vontade. 

Mas já me sinto vencedora por ter chegado até aqui. Na verdade, logo no começo, quando notei os resultados, minha motivação começou, pois no início nem eu acreditava em mim.

Acredite em você! Se cerque de pessoas que possam te ajudar e o mais importante: Faça por você. Não espere ninguém te acompanhar na academia ou na caminhada, não espere ninguém te incentivar, seja o seu maior incentivo! A vontade de vencer é só sua e não depende de mais ninguém.

E claro, eu continuo comendo minhas besteiras de vez em quando, me permito um doce, um pastel de feira, uma noite de pizza ou hambúrguer... Mas nada de desistir, a vida segue e as calorias extras logo somem!





No dia 13 de abril foi meu aniversário e fiz 27 aninhos. Pra mim, foi muito especial chegar nesta idade com uma vida diferente e mais saudável. Ah, neste dia me permiti comer de tudo e me deliciar com um bolinho. Ninguém é de ferro né?

Um beijo e até o próximo post!

=]

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Escova Progressiva – Portier

Reeducação Alimentar - Menos 7 quilos