Reeducação Alimentar - Menos 7 quilos

Oi oi pessoal

Tudo certo com vocês?

Hoje vou compartilhar com vocês aqui no blog um pouco sobre a mudança da minha rotina. Quem me acompanha no Instagram (@Blogcarlaalvesonline) já deve ter notado que venho postando algumas coisas lá sobre o assunto.

Então resolvi trazer pro blog depois de muitas pessoas me perguntarem o que fiz, como consegui, entre outras coisas. São muitas coisas a serem faladas e explicadas.



Começo dizendo que pensei muito antes de fazer esse post, pois tenho medo de trazer à tona o assunto "emagrecimento" em um mundo em que os padrões são cruéis e há muitas pessoas que sacrificam a saúde em nome deles.

Não sou médica, não sou nutricionista e nem educadora física. Sou jornalista e a dica ou conselho que posso compartilhar aqui pode não ser útil para você, para o seu corpo, para o seu organismo.

E também não quero defender a magreza ou nenhum tipo de padrão. Quero apenas relatar o que me fez parar e pensar em mudar.

O início

Eu sempre tive uma tendência muito grande a engordar, sempre briguei com a balança e enfrentei diversos projetos (projeto Verão, projeto viagem, projeto isso, projeto aquilo...). Até que fui engordando, engordando e cheguei aos 73 quilos. Eu dificilmente falo meu peso para as pessoas heim?! Olha a intimidade rs.

Em outubro de 2017, no meio do mês, quando subi na balança e vi o número 73, fiquei muito assustada. Pois tenho 1,62 de altura e no meu caso, a partir dos 65kg já é sobrepeso. Estar na casa dos 70 quilos me deixava bem desanimada. Eu cheguei a mentir meu peso, as vezes em alguma consulta, avaliação médica, quando me questionavam quanto eu pesava, cheguei a falar 69! Tudo pra aliviar "o peso" da casa dos 70.

Após ver estes 73 carimbados em uma balança de farmácia, caí na real e senti que precisava mudar. Mudar meus hábitos, mudar minha alimentação, mudar meu estilo de vida. Foi então que eu comecei a reeducar a minha alimentação.

As mudanças começam

Todos sabemos que uma alimentação balanceada é a base de toda reeducação. Eu costumava falar que estava de dieta, mas no fundo, eu tenho encarado esse processo como uma reeducação alimentar mesmo, pois pretendo adotar essa prática como estilo de vida.

Não fiz nada restritivo, embora eu tenha adotado algumas mudanças. Pro meu corpo, coisas restritivas não dão muito certo. Já fiquei anos sem tomar refrigerante, mas quando voltei a tomar, tomava muito, de forma exagerada. Então por isso hoje não me permito passar vontades, como de tudo apenas de forma reduzida. Se eu tiver vontade de tomar uma Coca-Cola, tomo um copo, de vez em quando e vida que segue.

Não tirei nada do cardápio, nem fiquei complexada contando calorias, olhando rótulos. Nada contra quem faz isso, mais uma vez repito, cada um sabe o que é bom para si, mas eu não queria que esse processo fosse uma coisa chata, sofrida, por isso investi nessas pequenas mudanças.

A primeira mudança que resolvi investir foi na troca do açúcar branco pelo açúcar demerara. Eu tomava café de manhã com três colheres de açúcar branco! Era praticamente açúcar com café né? Tentei algumas vezes trocar o açúcar pelo adoçante, mas não consegui, o gosto do adoçante não me descia. Foi então que achei melhor procurar uma opção mais saudável do próprio açúcar e diminuir a quantidade, afinal, não iria adiantar eu continuar adoçando o café com três colheres de açúcar demerara.

Para dar menos impacto ao sabor amargo do bom e velho cafézinho (eu adoro café, principalmente de manhã) eu colocava um pouquinho de leite pra ajudar a "adoçar". O leite eu também substituí, comecei a tomar o semi desnatado. Me informei sobre o leite e vi que o semi era a melhor opção por conta do cálcio.

E daí eu fui começando a aprender a administrar minhas refeições, comer de três em três horas e nestes intervalos entre o almoço e o jantar, dar preferência para frutas, iogurtes naturais, torradas light, barrinhas de cereais, que inclusive, são minhas aliadas quando saio de casa. Para não comer besteiras na rua, coloco barrinhas ou biscoitos integrais na bolsa e faço meu lanchinho. Além disso, ficar muito tempo sem comer não é nada saudável.

Aos poucos eu fui começando a ver que essa mudança estava fazendo bem ao meu corpo e fui começando a entender o que era fome, o que era vontade de comer... O chocolate por exemplo, era a minha maior tentação. Para vocês terem uma ideia, eu comia uma barra enorme de chocolate sozinha sem perceber. Quando decidi me reeducar, não queria excluir o chocolate do meu cardápio, apenas me controlar e percebi que consegui driblar a vontade.

Para não ficar sem comer chocolate, eu compro no mercado um chocolate pequeno (nada de barras grandes) da opção meio amargo, que é o chocolate menos calórico. E como quando tenho vontade, como devagar, degustando cada quadradinho...até sentir se estou cheia ou não. Foi uma das coisas que mais me alegro em ter conseguido mudar, pois eu era compulsiva por chocolate e doce.

O psicológico também ajuda

Aprendi também que a principal mudança pode ser psicológica. Eu tinha uma relação muito diferente com a comida. Era como se eu comesse como se não houvesse o amanhã, como se meu cérebro falasse pra mim: "Come tudo mesmo, a gente nunca sabe o dia de amanhã". E foi aí que detectei que eu precisava mudar meu jeito e comer até onde ficar satisfeita ou comer sabendo que daqui 3 horas eu iria me alimentar de novo e não precisava se desesperar assim.

Cheguei a trabalhar meus pensamentos, falando pra mim mesma: "A comida não vai fugir, se amanhã eu quiser um alimento desse, vou achar no mercado ou em algum restaurante, não preciso comer como se fosse a última comida do universo".

Cardápio

Jamais vou listar para vocês um cardápio exato do que comer pois como citado acima, não sou médica e seria muita irresponsabilidade minha fazer isso.

Mas posso compartilhar com vocês que meu café da manhã ficou mais farto, tento incluir sempre uma fruta e ai vario com torradas light, as vezes pão integral ou bisnaguinha integral também. Variar o cardápio é sempre bom pra não cair na rotina e eu enjoo muito fácil das coisas.

Antes do almoço procuro comer alguma coisa leve também para não chegar na hora da refeição muito faminta. Antes, eu mal almoçava, pois não tinha muita fome de dia, e ia comer besteiras a tarde e beliscava até o fim da noite, que era quando surgia o apetite.

Após o almoço, tento comer uma fruta de sobremesa e depois a tarde mais um lanche leve, para depois jantar. Após o jantar, também tento comer frutas, principalmente a noite, que a refeição tem de ser mais leve.

Exercícios

O que todo mundo sabe é: alimentação balanceada + combinação com exercícios= sucesso! Foi ai também que percebi que precisava me mexer, literalmente.

A reeducação alimentar eu comecei em outubro, no fim do mês. Até então eu caminhava raramente. Mas foi no fim de novembro/começo de dezembro que eu comecei a pegar firme nos exercícios.

Não gosto de academia, tem gente que gosta, já tentei gostar mas não rolou. Gosto muito de fazer caminhada em parques e praças, então foi nesse "prazer" que apostei minhas fichas. E comecei a praticar mais, tento ir todos os dias, quando chove é complicado, mas sempre dá pra dar aquela escapada.

Tem dias que dá preguiça, mas eu me desafiava a ir pelo menos meia horinha e acabava caminhando até mais. Também me impus alguns outros desafios, de ir 15 dias seguidos, de continuar caminhando no fim do ano, que foi o período crítico de comilança devido ao Natal e ao Ano Novo.

Hoje em dia, amo fazer caminhadas, me sinto mal quando fico um dia sem ir e arrisco até umas corridinhas. Minha meta para esse ano de 2018 é começar a correr. Quero muito começar a gostar e praticar sempre, pois os exercícios me ajudam muito. Fisicamente e psicologicamente.

Dicas úteis que me ajudaram

Se você se animou em começar a mudar seus hábitos, muito bem, aqui vão algumas dicas que me ajudaram muito:

- Beba bastante água! Eu tenho um copão e vou bebendo e enchendo durante o dia pra ficar mais fácil essa tarefa;

- Pesquise mais sobre os alimentos saudáveis e foque nos que vocês mais gosta. Tem dificuldades para comer fruta? Eleja a sua preferida e tente sempre ter por perto;

- Não compre coisas que te façam cair na tentação: eu por exemplo não podia sair do mercado sem uma caixa de paçocas, hoje em dia nem compro, para não me sabotar nos momentos de "fúria por doce";

- Faça uma reserva com produtos saudáveis: Bolachas integrais, barrinhas, biscoitos de arroz (eu adoro), cookies integrais... basta procurar no mercado e achamos várias opções. Com essa reserva, quando bater aquela fome fora de hora, você não precisará cair nas tentações;

- Fuja de amigos que te sabotam! Talvez essa seja a parte mais difícil, pois nós temos manias de associar a comida à tudo: reencontros, conversas, comemorações...Quem nunca comprou algo para comer quando for assistir à algum programa? Então sempre tem aqueles convites para comer, sair da dieta, ok se você for, não acho legal deixar de viver por isso, mas eu ao começar meu processo tive que sair avisando todo mundo que minha alimentação estava mais regrada e muitas pessoas ao redor custaram a entender;

- Inclua o exercício em sua rotina. Vá testando qual horário você acha melhor, o que te dá mais prazer e se coloque metas do tipo: "Semana que vem quero ir na academia todos os dias" e faça de tudo para cumprir;

- Comeu alguma besteira? Não se culpe e nem chute o balde. Não deixe que aquela pequena besteira te faça desistir de tudo.

Balanço geral

Até aqui foram 7 quilos eliminados. Claro que quero perder mais, estou só no começo. Eu não ia fazer o post agora, ia esperar emagrecer mais, porém, ao postar uma foto do antes e depois no Stories do Instagram, muita gente me procurou pedindo ajuda e achei melhor fazer o post pra sintetizar.

Deixo claro também que perdi 7 quilos mas continuo comendo pizza, vou pra churrascos, comi bolo, hambúrguer, jaquei bastante no fim de ano, tomo meus copos de Coca-Cola de vez em quando, como umas casquinhas do MC Donald's quando dou uma andadinha no shopping... Sou filha de Deus e longe de mim passar vontades!

Ressalto que isso foi o que decidi pra mim, foi o que senti que deu certo no meu organismo. Tem gente que faz dieta tirando carboidrato, tem gente que faz jejum, enfim, cada um sabe o que é melhor para si. Eu optei pela reeducação alimentar.

As melhores pessoas que podem te dizer o que definir para o seu corpo são pessoas especializadas em saúde e bem estar, ok?

Espero que eu tenha conseguido sintetizar um pouco da minha mudança pra vocês e que sempre pensem na saúde em primeiro lugar, ela é nosso bem mais valioso independente do formato do seu corpo.

Quem precisar de incentivo, pode contar comigo, mas o incentivo maior tem que partir de você! Não adianta mil incentivos quando a pessoa não corre atrás, não tem força de vontade, não se empenha... Não foi díficil começar no meu caso, mas também não foi fácil. Ter que abrir mão de alguns "prazeres" é complicado, porém, ter o prazer de estar com minha auto estima melhor e me sentindo bem de saúde, me faz ver que o esforço valeu a pena.

Ah, e a foto do antes foi tirada em 15 de outubro de 2017. A foto do depois no dia 5 de janeiro de 2018.

Aos poucos vou contando para vocês aqui no blog e também lá no Instragram estou sempre compartilhando minha rotina, me acompanhem lá também!!!

Um ótimo começo de ano e de semana para vocês!

Grande beijo!!!



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Escova Progressiva – Portier

Reeducação Alimentar - Já se foram 13 quilos